Posts tagged delegado

Delegado deve autuar homem preso, por estupro de vulnerável

O delegado Igor Pessoa, titular da DP Municipal de Caicó, confirmou ao Blog Sidney Silva agora a pouco por telefone que já ouviu diversas testemunhas do caso, além da mãe e da própria criança de apenas 11 anos que teria sido abusada sexualmente por um comerciante nos últimos meses.

O fato foi denunciado nesta segunda-feira, (21), à polícia pela mãe da menina. Ela teria contato a mãe neste domingo, o que estava acontecendo e que sempre encontrava o agressor nos finais de semana, quando ela estava em sua casa. A menina é irmã da esposa do homem que foi preso.

“Eu devo autuá-lo em flagrante por crime de estupro de vulnerável. Só falta fazer a ouvida dele, mas, isso vai acontecer agora no início da tarde e em seguida remeto a peça para a Justiça e lá o Juiz decide de decreta a prisão preventiva do preso ou não”, disse o Delegado Igor Pessoa.

A mãe disse que ouvi da criança que não houve penetração, mas, ocorriam toques nas partes íntimas, e por isso pediu exame de corpo de delito no ITEP.

Ultimamente, a criança vinha reclamando de dores abdominais e tinha mudado o comportamento. Quando foi dizer o que estava acontecendo ela pediu para a mãe não chamar a polícia. “Isso é uma coisa comum entre às pessoas que são abusadas, já que elas temem que de alguma forma o seu agressor possa lhe fazer algum mal, ou até mesmo a seus familiares”, contou um especialista.



Delegado de Currais Novos, mesmo designado, não veio dar plantão na sede da Regional em Caicó

O problema de falta de delegado plantonista na 3ª Delegacia Regional de Caicó, parece ser recorrente, mesmo. No final de semana passado, o delegado designado foi Antônio Pinto, que é titular da cidade de Currais Novos. Ele não saiu de lá, afirmando que na sede da Regional não dispõem de estrutura mínima para trabalho, como por exemplo, agentes e escrivão. E não veio mesmo.

Os policiais militares que fazem o trabalho ostensivo tiveram que ir para Currais Novos com o objetivo fazer o flagrante. Lá, o delegado Antônio Pinto, lavrou o procedimento.

O Blog Sidney Silva, apurou através de uma fonte que pediu reservas que quando o delegado é designado para assumir determinado plantão, ele é que forma sua equipe. Isso deve acabar quando forem nomeadas as equipes plantonistas para Caicó.



Diário Oficial do Estado publica designação de delegado para a 3ª DRP em Caicó

O delegado DONNY EXODO LIMA CAVALCANTE, foi designado para assumir o comanda da 3ª Delegacia de Polícia Civil em Caicó. Ele assume a vaga deixada pelo delegado Petrus Antonius, que foi designado para Rio do Fogo/RN.

O ato foi publicado na edição deste sábado, (12), do Diário Oficial do Estado e assinado pela Governadora Rosalba Ciarlini.

O delegado, Donny Exodo, também vai responder pelos expedientes das Delegacias Municipais de Polícia Civil de Acari, Carnaúba dos Dantas, Ipueira, Jardim de Piranhas e São João do Sabugi.

O Blog Sidney Silva, apurou junto ao Delegado Geral de Polícia Civil, Adson Kepler Maia, que o delegado Êxodo, deve permanecer na Regional por 15 ou 20 dias, até que saia a nomeação de Igor Pessoa, para seu lugar. Na verdade, ele vai compor às equipes de plantão noturno, semanais.

Quando o delegado Igor sair da Municipal para a Regional, vai ser designado novo delegado com uma equipe de 4 agentes para atuar em Caicó.

Em relação aos plantões, os delegados já foram escolhidos e eles aceitaram. São eles: Helena Aguiar, Francisco Cavalcante, Ana Alexandrina e Donny Exodo. Suas nomeações devem ser publicadas em breve quando for criado o plantão de Caicó. Para auxiliar os delegados, serão designadas equipes com agentes e escrivães.

A governadora Rosalba Ciarlini, confirmou que nas próximas semanas vai fazer a convocação de novos delegados, agentes e escrivães.



Delegado é morto ao reagir a assalto em Fortaleza/CE

Diário do Nordeste – Um delegado cearense que trabalhava na Polícia Civil do Piauí foi assassinado com vários tiros na madrugada desta segunda-feira (17) no bairro Guararapes. Lucas Craveiro Alves, de 33 anos, estava em um restaurante na Av. Washington Soares com Miguel Dias e, ao deixar o local, foi abordado próximo ao seu veículo.

O delegado foi surpreendido por três homens, reagiu ao assalto e trocou tiros com os bandidos. Após a ação, Lucas ainda chegou a ser socorrido em um hospital da Capital, mas não resistiu aos ferimentos.

Um dos suspeitos, Lindoval Vicente da Silva, levou um tiro no ombro e outro na perna, deu entrada no Instituto Dr. José Frota (IJF) e já está sob escolta policial. Os outros dois suspeitos foram identificados como Fernando e Francisco.

Lucas Craveiro Alves, de 33 anos, estava em um restaurante e ao deixar o local, foi abordado próximo ao seu veículo



Sessão do Pleno do TJ aprecia denúncia do MP contra juiz e delegado aposentado

Os desembargadores do Pleno do Tribunal de Justiça do RN apreciam, na sessão desta quarta-feira (12), processo que envolve denúncias sobre interceptações telefônicas ilegais, tendo como réus o ex-delegado de Polícia Civil, Maurílio Pinto de Medeiros, e o juiz Carlos Adel Teixeira de Souza. Segundo acusação do Ministério Público Estadual, as interceptações teriam ocorrido entre agosto de 2003 e março de 2007. O relator do processo é o desembargador Cláudio Santos.

O Ministério Público ofereceu denúncia em desfavor do juiz de Direito e o ex-subsecretário da Segurança Pública e da Defesa Social , sob a acusação da prática de crime de quebra de sigilo telefônico, em desobediência ao art. 10 da Lei nº 9.292/96.

De acordo com os autos, o juiz Carlos Adel “deferiu centenas de solicitações de interceptações telefônicas feitas por Maurílio Pinto”, resultando na expedição de 536 ofícios dirigidos às operadoras de telefonia celular, com a subsequente quebra do sigilo de 1.864 linhas telefônicas.

Na narrativa, Maurílio oficiava ao juiz a quebra de sigilo telefônico, que prontamente atendia a requisição, sem que, para isso, necessitasse abrir inquérito policial ou demonstrar observância ao devido processo legal. As alegações de defesa apresentadas pelos acusados sustentam que as escutas telefônicas serviriam para prevenir crimes.



Caicó: Juiz afasta delegado acusado de cometer sete crimes

O Juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Caicó, Luís Cândido de Andrade Villaça, determinou o afastamento das funções e recebeu denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual contra o delegado Getúlio José de Medeiros. Ex-titular da 3ª Delegacia Regional de Polícia Civil em Caicó, o delegado é acusado de sete crimes, entre os quais, corrupção passiva, peculato e prevaricação.

O delegado é acusado de não ter feito a lavratura de flagrante delito contra Fernando Pereira Soares, que teve a prisão decretada no processo da Operação Coiteiros, apontado como autor de homicídios e braço operacional da organização criminosa denunciada naquele caso.

Fernando Pereira Soares foi conduzido à sede da delegacia regional por um agente da Polícia Civil e uma equipe de policiais militares, com todos os elementos jurídicos necessários para lavratura da sua prisão em flagrante por ter assassinado o próprio pai, fato ocorrido no dia 07 de setembro de 2012, na cidade de Jucurutu, crime de grande repercussão naquela cidade.

Todavia, o delegado não lavrou o flagrante e liberou o acusado, apenas colhendo o seu depoimento, onde, direta e expressamente, o próprio filho do delegado atuou como advogado do acusado, não tendo Getúlio se declarado impedido e ainda deixando de realizar o ato processual para o qual, por Lei, estava obrigado.

Após esse fato, Fernando Pereira Soares teve prisão preventiva decretada, mas já estava foragido e, de acordo com as investigações, passou longo tempo em fazendas pertencentes aos irmãos Henrique José Torres Lopes e Jorge Eduardo Lopes, sendo que Fernando também é investigado pelo assassinado de Isaac Torres, dentre outros crimes.

Além desse fato, o delegado é acusado de crimes de peculato por apropriar-se de três fianças, uma delas integralmente e em outros casos, o delegado informava aos cidadãos flagranteados a fixação de um valor a maior e no papel consignava a menor, recebia valores em espécie e apropriava-se da diferença.

O delegado ainda é acusado de ter fixado fiança em valor módico em outro caso em que seu filho atuou direta e expressamente em flagrante presidido pelo próprio pai, sem novamente declaração de impedimento. Neste caso, foi o filho do delegado que, de acordo com as investigações, decidiu o valor da fiança, que a denúncia entendeu bem abaixo da capacidade financeira do flagranteado e da gravidade do caso, que era a receptação dolosa de um veículo, tendo sido fixado fiança em apenas R$ 500,00.

Outra acusação diz respeito a recebimento de vantagem em negociação ilícita na delegacia, com apropriação de eletrodomésticos em uma ocorrência de crime contra o patrimônio, onde o acusado ficou com os produtos, pagando quantia muito abaixo do mercado para a vítima e determinando aos acusados a apuração do restante da quantia para ressarcir a vítima, em seguida arquivou o caso na delegacia, informando as partes que esse era um procedimento que ele adotava chamado “polícia comunitária”, que consistia em resolver rapidamente os casos na própria Delegacia sem precisar ir para a Justiça.

Dentre as medidas impostas ao delegado, o Juiz determinou o afastamento das funções, sendo que Getúlio Medeiros atualmente estava lotado no município de Marcelino Vieira, mas de acordo com as investigações já havia notícias de prática semelhantes naquela Comarca do Alto Oeste potiguar.

O Juiz Luís Cândido de Andrade Villaça determinou que o denunciado entregue sua carteira de identidade funcional na Secretaria Judiciária do Juízo, determinou também a proibição de adentrar em delegacias e prédios públicos, o recolhimento domiciliar noturno e aos finais de semana, a apresentação mensal ao Juízo e proibição de mudar de endereço sem autorização judicial, tudo sob pena de decretação de sua prisão preventiva em caso de descumprimento.

Veja a sentença AQUI



Caicó volta a ter apenas um delegado como titular da 3ª DRP e da Municipal

E a Polícia Civil de Caicó – a exemplo do que ocorre no restante do Estado – vai passando por uma crise sem precedentes. Não tem agentes e escrivães suficientes e estrutura para às delegacias Regional e Municipal. Como se não bastasse, o Diário Oficial do Estado, edição desta sexta-feira, (24), divulgou a designação do delegado Igor Pessoa, para assumir o cargo de Delegado Regional, em decorrência das férias de Petrus Antônius. Um detalhe chama a atenção. O delegado Petrus, anunciou que não volta para Caicó, porque está enfrentando problemas de saúda na família.

Em Currais Novos, nesta sexta-feira, (24), o delegado Antônio Pinto, estava atendendo às pessoas, registrando os boletins de ocorrências, realizando flagrantes e outras funções a mais porque não dispunha de agente e nem de escrivão na Delegacia.



“Nós temos interesse de realizar nosso papel de Polícia Judiciária, mas, nos falta estrutura”, afirma Delegado Regional de Caicó

Delegado Pestrus Antonius reafirma a situação precária das delegacias do Seridó - (FOTO: Glaucia Lima)

Sidney Silva – Esta semana um cartaz afixado na Delegacia de Polícia Civil de Caicó mostrando que ali não tinha uma equipe de investigação ganhou repercussão. No dia seguinte ao fato, o delegado Igor Pessoa, titular da DP Municipal, retirou o anuncio. O delegado Petrus Antonius, titular da 3ª DRP aproveitou o momento para dar sonoridade ao ato do policial que tomou a medida de mostrar a realidade local. Em entrevista ao programa Comando Geral da Rádio Caicó AM, disse que o policial, a exemplo dele, está preocupado com a onda crescente de violência na cidade.

Nós temos interesse de trabalhar, de fazer o nosso papel de Polícia Judiciária, mas, nos falta estrutura. Nós temos uma deficiência de pessoal tremenda. Aqui na DRP de Caicó, nós temos 1 delegado, 1 escrivão e um agente. Na Municipal da mesma forma, nós temos, 1 delegado, 1 agente e 1 escrivão. Esse agente é também o chefe de investigação. A equipe de investigação não existe“, informa.

O delegado ainda lembrou que em um inquérito policial, é preciso que se cumpram diversas diligências como, intimações, entrega de ofícios, condução de pessoa presa, entre outras, e pra tudo, precisa ter combustível nas viaturas. Esse é outro problema. “Fica difícil para, apenas um policial realizar diligências nos diversos inquérito instaurados, tanto na Regional como na Municipal de Caicó. São mais de 120 peças investigativas instauradas só este ano“, afirma.

A Delegacia Regional atende às cidades de Carnaúba dos Dantas, São João do Sabugi, Jardim do Seridó, Acari, Ipueira e Jardim de Piranhas. Somados todos os procedimentos dessas comarcas, o número passa dos 100. Em muitos os casos, apenas um policial civil atua nas comarcas em destaque.

A situação das delegacias do Interior, já é de conhecimento da Delegacia Geral de Polícia Civil e da Delegacia de Polícia do Interior, mas, mesmo assim são oficiadas toda semana. “Nós sabemos que tudo depende do orçamento do Estado, e o delegado geral já nos comunicou que assim que forem convocados novos policiais, eles serão distribuídos nas comarcas. Na verdade, isso é lei. Onde estiver atuando um juiz e um promotor, tem que ter um delegado, e consequentemente, agentes, escrivães, etc“, disse.

A Delegacia Regional de Caicó, também funciona com plantão 24 horas de segunda-a-segunda, mas, de acordo com Patrus Antonius, o serviço ficar prejudicado a partir desta semana.”O plantão é à noite e como os servidores não estão recebendo às diárias pelos serviços prestados, não estão querendo trabalhar“, destaca.

A informação também confirmada pelo delegado é que nos finais de semana os plantões serão normais. A dificuldade fica mesmo na semana durante a noite e madrugada.

Quando os policiais militares e a da Polícia Rodoviária Federal chegarem na DP de Caicó com um flagrante, terão que voltar no dia seguinte. De segunda a sexta-feira, na parte da noite, não tem como receber a ocorrência. Uma das possibilidades é levar o flagrante para ser confeccionado em Natal ou em Mossoró.

Sobre o combustível, o delegado confirmou que a quantidade que é repassada para o abastecimento das viaturas é insuficiente haja vista a demanda de ocorrências existentes nas comarcas.

Atualmente, a Delegacia Municipal de Caicó, conta com 1 viatura, a Regional tem 2, a Dea (menor) tem 1 e em Acari, também 1. O tempo de vida útil de alguns desses carros, é o caso da viatura da Municipal, está ultrapassado. Para piorar, o Estado só disponibiliza 35 litros de combustível por semana para às viaturas. Em alguns casos, o delegado Petrus Atonius teve que pagar o abastecimento com dinheiro do próprio bolso. “Veja, se eu for duas vezes por semana a cidade de Acari, o combustível se acaba. Eu pergunto: e o resto da semana? e as outras cidades? como ficam?“, destaca.

Nesta quarta-feira, (06), pelo menos duas viaturas estão paradas em frente da Delegacia de Caicó, por falta de combustível. Ou, seja resta apenas uma para servir a Regional e a Municipal.



Potiguares presos por assaltos no Mato Grosso deverão ser transferidos para presídios federais

O delegado Diretor da Gerência de Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil de Mato Grosso, Flávio Henrique Stringueta, conversou com o Blog Sidney Silva, por telefone e disse que o grupo preso nesta sexta-feira, (27), na cidades de Palmas e Paraíso do Tocantins em Tocantis, ficará aguardando a conclusão do inquérito e o mais rápido possível deve ser encaminhado para um presídio federal.

Eles deverão ser autuados por crimes de roubo majorado com o emprego de arma de fogo, com concurso de pessoas, também está sendo analisado o crime de tentativa de homicídio, já que eles atiraram contra os policiais em perseguição. “Quando os inquéritos forem concluídos eles devem ser encaminhados para um presídio federal, onde existe mais segurança, e o bando ficará isolado“.

Os presos Francisco Evanaldo Gomes, Regis Wagnes Alves de Lima (Boy Regy), Ivanildo Pereira Cavalcante (Ivanildo de Zé da Barragem), Wenias Wagner Rodrigues (Waguinho), e Antônio Aparecido de Oliveira Ferreira, tiveram mandados de prisão cumpridos, sendo quatro em Palmas e um em Paraíso do Tocantins. Outros dois, Diego Rones Bezerra e Sanael Silva, foram presos em flagrante por porte de arma de fogo de uso proibido e posse de munição e carregador de uso restrito e será apurada a participação deles com a quadrilha.

O delegado contou ao Blog como era a forma de agir do bando. Segundo Stringueta, eles invadiam as cidades como se fossem cangaceiros. No passado, os cangaceiros agiam com violência e tomavam cidades, pois, assim agia o bando liderado por “Nêgo Véi”. “O estilo do bando é o estilo do cangaço. Eles chegam na cidade, dominam tudo, levam o terror para esses lugares, colocam os clientes e demais populares na frente das agências enquanto estão saqueando tudo, e isso impede que a polícia se aproxime. Por aproximadamente 1 hora, eles dominam a cidade, por isso eles são chamados de “novo cangaço”, como faziam os cangaceiros de outrora“, afirma o delegado.

O trabalho de investigação da Polícia no Mato Grosso para prender os assaltantes, começou quando eles invadiram a cidade de Vila Rica/MT, no dia 09 de setembro. Na ocasião, pelo menos 3 agências bancárias e uma dos Correios, foram tomadas pelo bando de forma simultânea. O delegado disse que essa ação foi muito violenta.

Para chegar no paradeiro dos novos cangaceiros, os policiais tiveram a ajuda dos serviços de inteligência do Rio Grande do Norte e de Pernambuco. “Com às fichas dos homens foi possível, com o nosso pessoal na rua levantar os endereços deles aqui em Palmas, e onde eles estavam. Nesse assalto de Vila Rica, eles levaram, aproximadamente R$ 600.000,00 (seiscentos mil reais). Nós tivemos o apoio das polícias do Maranhão, Pará, Tocantins, Pernambuco e do Rio Grande do Norte“, disse.

Sobre o momento das prisões, o delegado destacou que não houve nenhum tipo de reação. “Nas prisões e apreensões não houve reação. As pessoas foram pegar através da inteligencia, o que acaba impedido a ação, foi pela madrugada, estavam dormindo“.

O delega disse, que a polícia local atribui a liderança do bando a Antônio Mouro, mais conhecido por “Nego Véi”, que morreu e troca de tiros com a polícia após o assalto de Vila Rica/MT. “Ele era o líder desse bando, nós não temos dúvidas disso, agora, depois de sua morte, consideramos que esse bando está acéfalo, sem liderança no momento e vai ficar pelo menos algum tempo sem comando, precisando de alguém para liderar. Vai ficar inativa“, afirma.



Portaria divulgada no DOE trás nome do Delegado para Caicó

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, (10), traz a designação e dispensa de alguns delegados de Polícia Civil. As portarias com às movimentações são assinadas pelo Delegado Geral de Polícia Civil, Ricardo Sérgio Costa de Oliveira. Os novos delegados, foram convocados do último concurso. Eles se apresentaram na Delegacia de Polícia do Interior – DPCIn.

Em Caicó, assume a titularidade da Delegacia Municipal, Igor André Pessoa Barros Lopes, como o Blog (www.sidneysilva.com.br) tinha anunciado em post anterior. Ele ainda vai assumir às delegacias de São Fernando e Timbaúba dos Batistas.

O bacharel, Petrus Antonnius Gomes Ferreira, que é titular da 3ª Delegacia Regional de Polícia Civil, que tem atuação em 23 cidades, estava também respondendo também pelas DPs Municipais de Caicó, São Fernando e Timbaúba dos Batistas, mas, uma das portarias divulgadas no DOE, o dispensa dos serviços nas localidades por último mencionadas.

Outra portaria designou o Donny Exodo Lima Cavalcante, para ser delegado municipal de Luiz Gomes, e responder pelos expedientes nas DPs de José da Penha e Major Sales, todas no Oeste do Estado.

O delegado que respondia por essas cidades era Inácio Rodrigues Lima Neto, que foi dispensado. Ele continua atuando como titular da Regional de Pau dos Ferros/RN.



Conhecido o nome do delegado designado para a DP Municipal de Caicó

O Delegado que vai assumir a titularidade da DP Municipal de Caicó, é, Igor André Pessoa Barros Lopes. Ele conversou por telefone com o Blog (www.sidneysilva.com.br) e disse que até sexta-feira, (12), deve vir à cidade para conhecer a estrutura e a realidade da Polícia Civil, local. “Nós queremos colaborar com a sociedade no que for preciso”, disse.

Sua designação para o cargo deve ser publicada no Diário Oficial do Estado, edição desta quarta-feira, (10).

Outro delegado convocado para assumir foi Donny Exodo Lima Cavalcante. Este vai assumir a delegacia de Luiz Gomes/RN, na região Oeste.

Em contato com o Delegado de Polícia do Interior, José Carlos Oliveira, o Blog ficou sabendo que está sendo analisada a possibilidade de serem designados alguns agentes para compor a equipe de Caicó.



Degepol muda o comando da 3ª DRP de Caicó, mas, não dá estrutura; DP Municipal continua sem titular

O Delegado Geral de Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Ricardo Sérgio Costa de Oliveira, mudou através de portaria publicada no Diário Oficial do Estado, o comando da 3ª DRP em Caicó. O delegado Getúlio José de Medeiros, deixou o cargo e foi designado para assumir da Delegacia de Currais Novos.

Para o cargo vago em Caicó, foi designado o delegado Petrus Antonnius Gomes Ferreira, que estava atuando em Currais Novos. Nesse caso, o que ocorreu foi uma permuta.

Na 3ª DRP, o novo titular vai atuar também nas cidades de Caicó, Ipueira, Jardim de Piranhas, São João do Sabugi, São Fernando, Timbaúba dos Batistas.

Com relação Getúlio Medeiros, ele vai assumir ainda o comando das delegacias de Cerro Corá e Lagoa Nova.

A Delegacia Municipal de Polícia Civil em Caicó, continua sem um titular. De acordo com o delegado José Carlos Oliveira, que é diretor da Delegacia de Polícia do Interior – DPCIN, não existem profissionais para serem designados para o cargo vago há vários anos.

Com relação a estrutura para a Polícia Civil funcionar a contento, ela continua sem existir. Nenhum computador, nenhuma viatura, nenhuma arma, nenhum telefone, nenhum colete balístico.

Outras mudanças

O Diário Oficial do Estado ainda trouxe outras movimentações de delegados.

Francisco Quirino do Nascimento Filho, foi dispensado da função de delegado da Especializada no Atendimento ao Adolescente Infrator – DEA/Natal. Ele foi designado para assumir o comando da DP de Pedro Velho/RN. Lá, era titular, o delegado Odilon Teodósio dos Santos Filho. Ele foi dispensado e ainda não foi designado para outra pasta.



Prisões devolvem tranquilidade à população apodiense

Márcio Soares (Apodi/RN) – O noticiário policial apodiense não tem ganhando destaque nas ultimas semana, isso graças ao clima de tranquilidade que vem reinando no segundo maior município da região Oeste potiguar.

Para o delegado da cidade, bacharel, Renato da Silva Oliveira, a operação “Cidade Tranquila”, deflagrada recentemente pela Policia Civil, que resultou na prisão de varias pessoas de Apodi que vinham sendo investigadas com fortes suspeitas de envolvimentos em crimes de homicídio e com o trafico de drogas da região tem sido muito importante para que a população de Apodi volte a viver tranquila e em paz. “Basta ver que depois que essas pessoas foram presas a onda de violência na cidade acabou”, justifica o delegado.

De acordo com o delegado Renato Oliveira, na primeira etapa da operação, foram presos, Moésio Leite Souza, morador do bairro Baixa do CAIC, na residência do mesmo os policiais encontraram cerca de 100 pedras de crack, prontas para serem comercializadas. Moesio também é investigado em outros crimes, o estudante, Kleber Romério Pinheiro Gomes “Romero” e o colega, Aldemir Pinto Gonçalves “Demir”, ambos também foram presos e são suspeitos de terem participado do assassinato do jovem Mateus Costa Silva “Pança”, na noite de domingo (10/03/2013), no Calçadão da Lagoa do Apodi. O jovem se encontrava no terminal turístico, na companhia de sua namorada e vários amigos, quando dois elementos em uma motocicleta, se aproximaram do mesmo e efetuaram pelo menos 5 disparos de arma de fogo, possivelmente de um revólver calibre 38, que atingiram Mateus na cabeça, na região do tórax e em uma das pernas, levando o mesmo a morrer no local. A dupla também é suspeita de ter participação no atentado de Cruz de Almas que deixou uma criança baleada.

A Policia Civil de Apodi acredita que esteja havendo um desentendimento entre traficantes. O Pança tinha fortes ligações com o trafico de drogas.

Recentemente o delegado Renato Oliveira, conseguiu mandados de prisão em desfavor de Jose Lucio Sampaio, Berg Varela e Silvano Correia, todos também investigados por envolvimento no trafico de drogas e suspeitos de participar do homicídio de Mateus Costa e na tentativa de homicídio contra Anselmo Lisboa de Lima, 32 anos, morador do bairro IPE, que foi atingido por 03 disparos de arma de fogo na cabeça, no momento em que jogava baralho em uma casa de jogos no centro da cidade.

Conseguimos prender, Romero, Demir, Moesio, Zé Lucio, Berg e o Silvano, todos estão na carceragem do Centro de Detenção Provisória de Apodi com prisões preventivas e outro com temporárias”, comemora o delegado Renato Oliveira.

Nas últimas semanas a população apodiense vinha sendo aterrorizada por dois homens em uma motocicleta que vinha praticando várias ações criminosas, dentre as quais homicídio e tentativas de homicídios, todos com características semelhantes. A operação desencadeada pela Policia Civil de Apodi, além de apreender drogas também conseguiu prender alguns indivíduos que são suspeitos de participarem dessas ações.

O trabalho realizado pelo delegado Renato Oliveira, vem recebendo o total apoio do Ministério Público através do promotor, Silvio Ricardo e do judiciário via juíza Kátia Guedes, ambos da Comarca de Apodi.

A população, que tem colaborado com o trabalho da polícia através de denúncias para o (84) 3333-2737 e assim contribuindo para elucidação de vários crimes e tirando traficantes de circulação que vinham atuando no município e região.

Sem adiantar detalhes, o delegado Renato Oliveira, disse que vem investigando outras pessoas que tem envolvimento com esse grupo que estão presos no CDP de Apodi.



Em Caicó, delegado não recebe homem que foi preso com quase meio quilo de maconha

Os policiais militares da cidade de Equador/RN, que prenderam na noite de quinta-feira, Alexsandro Rodrigues dos Santos, 25 anos, com quase meio quilo de maconha e loló, vieram à Caicó, para registrar a ocorrência, mas, não foram recebidos pelo delegado, e tampouco puderam deixá-lo custodiado.

Diante disso, voltaram para Equador, passaram a noite com o preso no Destacamento, e hoje, sexta-feira, (03), o conduziram para Parelhas, onde será autuado em flagrante e encaminhado para o CDP local.

Os policiais voltaram para Equador, revoltados.



Polícia Civil esclarece prisão de homem acusado de matar o pai

A Polícia Civil concedeu entrevista coletiva na manhã dessa quarta-feira (27) para esclarecer a prisão de Abeane Luiz Vale, de 31 anos, acusado de matar o próprio pai Abeane Vale, de 68 anos, no dia 19 deste mês. Ele confessou o crime à polícia, alegou que era ameaçado pelo pai e não mostrou nenhum arrependimento por ter praticado o crime.

Delegado Roberto Andrade em entrevista coletiva sobre o caso

Para o delegado Roberto Andrade, designado especialmente para investigar o homicídio, o crime não foi premeditado como alegou o suspeito. “Ele disse que estava no lugar certo e na hora certa, ou seja, que havia encontrado o pai coincidentemente e aproveitou a ocasião para praticar o delito, mas não acredito nessa versão”, disse alegando haver também algumas contradições no depoimento feito pelo acusado.

Em 2005 o idoso foi condenado pela Justiça por matar a ex-mulher, crime ocorrido em outubro de 1999, e que teria sido motivado por uma briga por bens judiciais em virtude de um processo de separação entre o casal. Na época, Abeane Luiz, filho do casal, tinha 17 anos de idade, e segundo o delegado teria se revoltado com o pai, mas esse segundo o próprio acusado não teria sido a motivação do assassinato. “Ele alega que cometeu o crime porque estava sendo ameaçado pelo pai, que, segundo ele, dizia que antes ser preso iria matá-lo”, explicou Roberto Andrade.

O filho da vítima foi preso nesta terça-feira (26) apontado como autor do assassinato. Ele se apresentou com seu advogado à Polícia Civil para prestar depoimento e foi comunicado a respeito do mandado de prisão que foi expedido em seu desfavor. O aposentado foi morto a tiros dentro do próprio carro, no cruzamento da avenida Prudente de Morais com a rua Alberto Maranhão, em Natal, na terça-feira da semana passada (19).

O que aumenta as desconfianças do delegado em relação a uma premeditação para o crime é que este foi cometido com as mesmas características daquele praticado contra a ex-mulher da vítima. “Ela também assassinada em um dia 19, a tiros e dentro de um carro em via pública, o que reforça a desconfiança de uma vingança por parte do filho da vítima”, frisou.

Durante o depoimento prestado à Polícia, Abeane Luiz não mostrou arrependimento. De acordo com o delegado, ele teria dito que “cumpriria essa pena sem problema nenhum, com o maior prazer porque o pai merecia”.

As suspeitas em torno dele aconteceram após investigações da Polícia Civil, que encontraram o carro usado no dia do assassinato no dia seguinte ao crime, um Gol branco que estava sendo utilizado pelo filho da vítima.

Abeane Luiz se encontra recolhido no Centro de Detenção Provisório de Pirangi e deve ser indiciado por homicídio qualificado. O delegado ainda deve interrogar a companheira do acusado que estava com ele no carro no dia assassinato e ainda deve ouvir o depoimento de outras testemunhas.



Delegado Federal é condenado por vazamento de informações sobre investigação de tráfico de drogas em Mossoró

A Justiça Federal em Mossoró condenou o delegado da Polícia Federal Adauto Gomes da Silva Júnior a sete anos e seis meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, e multa de mais de 100 salários mínimos vigentes em março de 2010, por vazar informações confidenciais sobre a “Operação Serra Negra”. A decisão judicial resultou de uma ação penal movida pelo Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN).

O réu, que poderá recorrer em liberdade, foi denunciado pelo MPF por violação do sigilo funcional e colaboração com o tráfico de drogas. No dia 15 de março de 2010, às 16h51, Adauto Júnior informou Karla Micaelly Fernandes da Silva, através de um telefonema, sobre a realização da “Operação Serra Negra”, que ainda seria deflagrada pela Polícia Federal de Mossoró e que tinha como objetivo desbaratar uma quadrilha de traficantes de drogas da região.

Cinco minutos depois, Karla Micaelly repassou a informação ao investigado Ikaro Mikael da Silva Jácome, que era um dos principais alvos da operação. No telefonema, ela disse que teria recebido as informações de um “amigo”, revelando que a polícia iria fazer “um raio x em tudo”. Através da quebra do sigilo telefônico de Karla Micaelly, a própria PF descobriu que o “amigo” tratava-se do delegado Adauto Júnior.

Ele se encontrava em Mossoró, em 15 de março de 2010, apenas para uma investigação eleitoral, mas foi até o Núcleo de Operações de Inteligência Policial da PF na cidade, tendo feito perguntas sobre Ikaro Jácome e tomado conhecimento de que o criminoso era um dos alvos da “Operação Serra Negra”. Em depoimento, Karlla Micaelly admitiu ter sido avisada por Adauto Júnior da operação e ter conversado com Ikaro Michael logo após, orientado-o a se desfazer do chip do telefone.

Policiais federais e o delegado responsável pela “Serra Negra” confirmaram que a conduta do réu provocou prejuízos à operação. O investigado Ikaro Jácome passou a utilizar outros números de telefone, diminuindo a quantidade de conversas mantidas com seus sócios no tráfico, dificultando as investigações. A “Serra Negra”, inicialmente prevista para durar seis meses, levou um ano e oito meses.

A sentença considera o “conjunto probatório favorável à condenação pelo crime de violação de ‘sigilo funcional’ e de informante de quadrilha destinada à prática de crime de tráfico de drogas” e acrescentou que a autoria e materialidade foram comprovadas. A denúncia do MPF havia sido recebida pela Justiça em 16 de dezembro de 2011, desde então Adauto Júnior estava afastado do cargo de delegado da Polícia Federal.

A decisão judicial prevê ainda perda do cargo, após o trânsito em julgado, e estipula 326 dias-multa, cada um fixado em 1/3 do salário-mínimo vigente em março de 2010. A ação penal tramita na 10ª Vara da Justiça Federal, em Mossoró, sob o número 0001791-59.2011.4.05.8401.

Assessoria do Ministério Público Federal



Falta de delegado titular na DP Municipal de Caicó atrasa inquéritos

A falta de um delegado titular na Delegacia Municipal de Caicó, atravanca centenas inquéritos policiais, inclusive de crimes de morte que nunca foram elucidados.

A deficiencia chegou esta semana a Câmara Municipal de Vereadores. O radialista Robson Araújo, o Batata (PMDB), fez um pronunciamento na tribuna Casa, pedindo providências no sentido de que seja designado um delegado para a 1ª DP em Caicó.

Que mistério existe nessa situação. Porque uma cidade que é pólo na região do Seridó, não tem um titular na delegacia municipal? Muitas familias que tiveram seus filhos e pais assassinados, não tem uma resposta. Isso é inconcebível“, reclamou.

Atualmente, o delegado da 3ª DRP (Delegacia Regional de Polícia Civil), Getúlio José de Medeiros, é quem responde pela Municicipal, mas, não dá pra dar respostas com a conclusão de inquéritos porque ele tem que tomar conta de mais de 20 delegacias nas cidades da região.

Outro grave problema nas delegacias Municipal e Regional, é a falta de agentes para trabalhar. Recentemente, os policiais militares que atuavam nas delegacias voltaram aos quarteis em atendimento a recomendação do Ministério Público. Os poucos policiais civis estão tendo que se revesar nas diversas atividades, de investigar, atender a comunidade, registrar boletins de ocorrência, etc.



Policiais são detidos em ação da PF de combate à milícias na Paraíba

Do G1/PB – Por volta das 5h30 desta sexta-feira (8), cerca de 400 policiais federais saíram nas ruas da região metropolitana de João Pessoa para prender policiais suspeitos de integrarem grupos de extermínio, de segurança privada clandestina e ainda de extorsão de traficantes. Durante a Operação Squadre estão sendo cumpridos 45 mandados de prisão, 11 conduções coercitivas e 19 mandados de busca e apreensão, totalizando 75 medidas judiciais. As investigações começaram há cerca de um ano.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Federal, entre os presos na ação estão integrantes de três diferentes milícias. A primeira é composta por policiais militares e civis, um agente penitenciário e particulares, que atuavam como grupo de extermínio, principalmente na região metropolitana de João Pessoa. As vítimas eram em geral presos e ex-presidiários, assassinado em razão de acertos de contas.

O outro grupo era comandado por oficiais da Polícia Militar e realizava segurança privada clandestina, bem como comércio ilegal de armas e munições, usando para isso uma empresa em nome de laranjas. O grupo criminoso, que contava também com o apoio de um Delegado da Polícia Civil da Paraíba, é investigado, ainda, pela prática de crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Já o terceiro grupo investigado é formado por policiais civis e militares e um agente penitenciário, que atuava extorquindo traficantes de drogas, assaltantes de banco e outros criminosos.

De acordo com a polícia, os três grupos criminosos estão interligados pelo tráfico ilegal de armas e munições.

A investigação, coordenada pela Polícia Federal com o apoio do Ministério Público Estadual e da Secretaria de Segurança e Defesa Social da Paraíba, começou há cerca de um ano e sua execução contou com a participação do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal (COT) e dos Grupos de Pronta Intervenção da Polícia Federal (GPIs) de diversos estados.

Segundo a PF, as provas obtidas no curso das investigações devem ajudar na elucidação de vários homicídios praticados por todo o estado da Paraíba. Às 9h (horário local) está prevista uma entrevista coletiva no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal, em Cabedelo, onde será apresentado mais detalhes da ação.



Chacina de Cidade Nova vai ser investigada pela DEHOM

O delegado Laerte Jardim da Delegacia de Homicídios (DEHOM) e o titular da 14ªDP, delegado Genezio Menezes foram designados em caráter especial para investigar a chacina ocorrida no bairro de Cidade Nova, zona Oeste da capital, na noite desta segunda-feira (17). A Portaria deve ser publicada amanhã (19) no Diário Oficial.

Delegado, Fábio Rogério Silva, comandou a coletiva sobre a chacina em Natal

O Delegado Geral da Polícia Civil, Fábio Rogério Silva, concedeu entrevista coletiva à imprensa na manhã dessa terça-feira (18), na Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol) para falar sobre o caso. “O nosso maior objetivo é elucidar esse crime e dar uma reposta à sociedade”, disse.

Fábio Rogério revelou estar surpreso com a ação criminosa e destacou que se trata de um crime “bárbaro” e “atípico” no estado. O delegado explicou que ainda não há maiores detalhes sobre a motivação dos homicídios, mas assegurou que as investigações já foram iniciadas pela Polícia Civil. “Não temos detalhes para adiantar no momento, mas tudo está sendo checado minuciosamente”, pontuou.

Ainda de acordo com o delegado Fábio Rogério, as famílias das vítimas e as possíveis testemunhas da chacina devem ser ouvidas nos próximos dias. “Todas as pistas que possam ser levadas à identidade e prisão desses criminosos serão devidamente investigadas”, finalizou.

Crime

Cinco pessoas foram assassinadas a tiros em frente ao um bar localizado na rua Dantas Barreto, bairro de Cidade Nova, nesta segunda, dia 17. As vítimas foram surpreendidas por homens que chegaram num carro preto e desceram efetuando vários disparos. Uma das vítimas chegou a ser socorrida com vida, mas faleceu a caminho do hospital.

As vítimas foram identificadas como Paulo Cassiano da Silva, de 39 anos, dono do bar, os irmãos José Aelson Félix, de 32 anos, e José Adriano Félix, de 25 anos, além do agente de saúde Arnóbio do Nascimento, de 46 anos, e Francisco Márcio da Silva, de 38 anos.



Juiz pede a delegado que cumpra Estatuto da Polícia Civil e deixe presos na delegacia

O juiz corregedor do presídio de Caicó, Luiz Cândido de Andrade Villaça, encaminhou ofício ao delegado regional Getúlio José de Medeiros, para que não encaminhe para o presídio, presos que estejam ainda com inquéritos em andamento.

De acordo com o magistrado, a Lei Complementar 270/2004, que é o Estatuto da Polícia Civil, prevê que os presos não podem ser encaminhados para os presídios antes da conclusão dos inquéritos. Vejam: Art. 34 e o inciso VI. Compete ao Agente de Polícia Civil – executar revista e vigilância de presos apenas durante o período do inquérito policial de réu preso.

Ouça o que disse o juiz Luiz Cândido sobre o assunto:

Luiz Candido1



Voltar ao topo